White Paper: Mecanismos de Transferência Internacional de Dados

arte_divulgação_white_paper_Instagram (1)

TRANSFERÊNCIA INTERNACIONAL DE DADOS | Um dos casos permitidos pela LGPD para transferência internacional de dados pessoais ocorre quando o controlador oferece e comprova garantias de cumprimento dos princípios, dos direitos do titular e do regime de proteção de dados previstos na Lei Geral de Proteção de Dados, na forma de:

  • Cláusulas contratuais específicas para determinada transferência;
  • Cláusulas-padrão contratuais, conhecidas internacionalmente como SCCs (Standard Contractual Clauses);
  • Normas corporativas globais ou regras corporativas vinculantes, globalmente conhecidas como BCRs (Binding Corporate Rules); ou
  • Selos, certificados e códigos de conduta regularmente emitidos.

A regulação dos mecanismos de transferência internacional de dados pessoais está prevista na agenda regulatória da ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) para o primeiro semestre deste ano.

Para uma visão do contexto global, lançamos hoje white paper sobre as regras para o fluxo transfronteiriço de dados. Na União Europeia, de acordo com o GDPR (Regulamento Geral de Proteção de Dados), as transferências de dados pessoais para fora da UE estão sujeitas a mecanismos legais rigorosos, buscando garantir que o país de destino ofereça nível de proteção adequado. Estão entre esses mecanismos as Cláusulas-Padrão Contratuais (SCCs) e as Regras Corporativas Vinculantes (BCRs), também previstas, como destacamos neste post, na LGPD.

Faça aqui o download.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp