O “cancelamento” de pessoas e empresas pode gerar responsabilização civil, que aumenta conforme o alcance dos ataques

1620663024736

CULTURA DO CANCELAMENTO | Em artigo publicado no Migalhas, Ricardo Maffeis, gestor da nossa área de Contencioso Digital e Proteção de Dados, e Daniel Guariento escrevem sobre a responsabilização civil no chamado “cancelamento de pessoas e empresas”.
A cultura do cancelamento, termo em voga desde 2019, representa a desconstrução social, a rejeição pública de uma pessoa – em geral famosa ou conhecida – pela sociedade. “Parece-nos clara a responsabilidade civil subjetiva de quem, com a disseminação do conteúdo, potencializou os danos, elevando-os de patamar e com consequências mais drásticas. Em tais casos, a desculpa de apenas ter repassado conteúdo que recebera de terceiros terá pouco impacto, na medida em que a omissão também pode contribuir para a ocorrência do ilícito indenizável por danos materiais ou morais”, observam.


Leia o artigo na íntegra

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp