Opice Blum avalia nova política de privacidade do TikTok

rb_

No dia 13 de janeiro, o TikTok modificou as regras de privacidade para menores de 18 anos, com o objetivo de aumentar a segurança dos usuários. As contas de adolescentes de 13 a 15 anos, por exemplo, passam a ser privadas, o que significa que somente podem ser vistas por pessoas autorizadas pelo usuário. Os comentários em vídeos de contas de pessoas com até 16 anos também passam a ser restritos a amigos, e downloads de vídeos somente permitidos para usuários acima dessa idade.

Em entrevista ao Migalhas, Renato Opice Blum, nosso chairman e sócio-fundador, avalia a nova política de privacidade do TikTok como mais restritiva e detalhada, ainda que alguns termos sejam genéricos. “Se porventura o usuário achar que há algum excesso ou os termos são muito genéricos, o que sobra será a não utilização”, diz. “Para os menores de 18 anos, há vedação expressa do uso dos recursos de prêmios, e menores de 16 anos não podem fazer lives nem usar os serviços de mensagem”, complementa.

Opice Blum destaca que a atualização procura, pelo menos em parte, adequar a política de privacidade da rede social à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais). “Os novos termos detalham os dados que estão sendo coletados, bem como o compartilhamento, ainda que de forma genérica, dessas informações com algumas empresas”, finaliza.

Leia aqui a reportagem na íntegra.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp